O Governo José Sarney como foi? Suas realizações e dificuldades.

. .
Imagem de Sarney atualmente em entrevista para o Senado.

José Sarney governou o Brasil por 5 anos, de 1985 a 1990. Político de origem conservadora e dissidente do PDS, José Sarney era o candidato a vice-presidente na Aliança Democrática que elegeu Tancredo Neves. Com a morte deste um dia antes de assumir a presidência, o cargo foi entregue a Sarney, que assim comandou o processo de transição democrática.

A promulgação da Constituição de 1988 marca essa transição: elaborada por um Congresso Constituinte eleito diretamente, substituiu a Carta do regime ditatorial e restabeleceu a democracia no país. 


A Constituição de 1988

Promulgada sob o comando do deputado peemedebista Ulysses Guimarães, um dos líderes da luta contra a ditadura militar, a Carta de 1988 tem como principais características:
  • República Federativa e presidencialista;
  • Limitação do Poder Executivo pelo Legislativo e pelo Judiciário;
  • Extensão do direito ao voto a analfabetos e maiores de 16 anos;
  • Reforma agrária apenas em propriedades consideradas improdutivas;
  • Fim da censura e ampla garantia de direitos individuais e coletivos.
Várias críticas, todavia, foram feitas a essa Constituição, que apresenta um texto muito longo, depende de regulamentação posterior e abrange aspectos particulares da vida social, política e econômica do país, ao invés de se limitar a princípios gerais.


Imagem da Assembléia Constituinte de 1988
Promulgação da Constituição Federal de 1988 no Brasil.

Dificuldades do governo de José Sarney

Enfrentando dificuldades deixadas pelos militares, agravadas por crises internacionais, o governo Sarney ficou marcado pela luta contra a inflação, através de uma série de planos e choques econômicos, como o Plano Cruzado, de 1986, que tinha como base o congelamento de preços e salários e a substituição da moeda (cruzeiro por cruzado). Apesar do sucesso inicial e do entusiasmo da população, o plano fracassou diante da especulação e do ágio. No final de 1986, uma nova edição do Cruzado tentou em vão controlar a inflação, que voltava com força total.

Novas tentativas de recuperar a economia, dessa vez aliando o controle dos gastos públicos ao congelamento de preços e salários, os planos Bresser e Verão também acabaram frustados, e o governo Sarney terminou marcado pela recessão, pela especulação financeira e pela ameaça de hiperinflação.

Completando a transição democrática, em 1989 realizaram-se eleições diretas para a presidência da República, das quais saiu vitorioso o "fenômeno político" Fernando Collor de Mello, o qual, baseado num estilo agressivo e de grande repercussão na mídia nacional, bateu figuras tradicionais da política como Ulysses Guimarães e Leonel Brizola, entre outros.



Créditos: Equipe Mais Educação

Nenhum comentário

Agradecemos o seu comentário! Em breve ele será publicado.