Transição do Feudalismo para o Capitalismo

. .
Uma série de transformações ocorridas a partir do século XI na Europa Ocidental, causaram a crise do modo de produção feudal e sua lenta substituição pelo sistema capitalista (final da idade média).

Para o feudalismo, o declínio teve início com as Cruzadas medievais, as quais, se por um lado não concretizaram o objetivo de libertar Jerusalém dos muçulmanos, por outro permitiram a reabertura do mar Mediterrâneo à navegação e ao comércio europeu - atividades que não tinham destaque no sistema feudal. As cidades italianas de Veneza, Gênova, Florença e Milão foram transformadas em importantes pólos de desenvolvimento comercial. 

Feiras Feudalismo crise
Fig. 1 - No território europeu, no cruzamento das rotas comerciais, surgiram as feiras, verdadeiros mercados de distribuição das especiarias.
A rota das especiarias, obtidas principalmente em Constantinopla, passou a ser monopólio italiano. O aprofundando do contato  com outros povos, principalmente árabes, fez os europeus gradualmente abandonaram sua inércia medieval e (re)descobriram o mundo das cidades e dos negócios: especiarias(pimenta, cravo, canela, etc.) e artigos de luxo produzidos na Índia, China ou Pérsia, aos poucos invadiram a Europa e impulsionaram um verdadeiro renascimento comercial e urbano.

O incremente comercial e a consequente ampliação da economia monetária, proporcionados pelas Cruzadas, favoreceram grandemente a ruína do feudalismo.

A Baixa Idade Média européia (séculos XI e XV) caracterizou-se ainda pela evolução das técnicas agrícolas, fato  que propiciou o aumento da produtividade no campo e a geração de excedentes, permitindo ao produtor rural integrar-se ao mundo dos negócios, favorecendo o crescimento demográfico, e ampliando a oferta de mão de obra e o mercado consumidor.


Nesse cenário de diversificação das atividades econômicas surgiram as feiras medievais, para onde afluíam mercadores carregados de produtos orientais, produtores locais, artesãos, criadores e aventureiros em geral. Eram verdadeiros mercados de distribuição de especiarias. Entre as mais importantes destacam-se as de Champagne, no interior da França, e as  de Flanders, no norte europeu, as quais atraíam mercadores de toda a Europa.

Situadas no interior dos feudos e próximas às rotas comerciais, muitas dessas feiras acabaram tornando-se fixas e deram origem aos burgos, as sujas e apertadas cidades medievais.

O nome burgo ( burgus, em latim, significa "fortaleza") dado a estas cidades devia-se às suas muralhas de proteção, e seus habitantes eram chamados de burgueses.


Evolução do Capitalismo
Fig. 2 - Evolução do Modo de Produção Capitalista


O desenvolvimento comercial trouxe junto a consolidação e a expansão da atividade bancária, em função das necessidades de câmbio e crédito. 

O enriquecimento vivenciado pelas cidades não as libertava automaticamente da tutela dos senhores feudais que as forçava às tradicionais obrigações e ao pagamento de tributos. Os burgueses reivindicavam sua autonomia através de conflitos ou compra de terras. As cidades que se tornavam independentes, recebiam na Itália, o nome de repúblicas; na França, de comunas; e na Alemanha, o de cidades livres.


Outros fatores que contribuíram para o declínio do sistema feudal.

- Guerra dos Cem anos - conflito entre Inglaterra e França por questões dinásticas.

- Peste Negra - as péssimas condições de higiene favoreciam a proliferação da peste que devastou milhões de vidas na Europa do século XIV.

- Constantes Rebeliões no campo - servos revoltados com a sua situação no sistema feudal rebelaram-se contra a exploração de seus senhores, ficaram conhecidos como jacqueries, expressão que os nobres franceses usavam para designar os camponeses, que poderia ser traduzida por "João Ninguém".


Nenhum comentário

Agradecemos o seu comentário! Em breve ele será publicado.

.