.

O Feudalismo: suas formas e características

. .

O que foi o Feudalismo?

Foi um sistema socioeconômico e político, com a  característica de  descentralização do poder em que, os valores relacionavam-se com a terra (feudo).
A feudalização ou ruralização da sociedade européia teve início no Baixo Império Romano, quando os grandes senhores romanos abandonaram as cidades devido à ameaça bárbara.
As pessoas que tinham pouca ou nenhuma posse passaram a trabalhar no feudo sob a forma de colonato. Entregavam uma parte do que produziam ao grande proprietário.
A escravidão, que constituía uma grande parcela da mão de obra no campo, que foi substituída pelo trabalho servil.
A estrutura feudal recebeu também influências germânicas.

Ex:
- Poder descentralizado: não existia ligação entre as diferentes tribos. Apenas a relação entre o chefe militar e seus guerreiros;
- Comitatus: caracterizado pela fidelidade mútua entre o chefe militar e os guerreiros;
- Direito consuetudinário: baseado nos costumes de cada tribo.


Características do feudalismo
A Pirâmide Feudal - (Wikimédia Comons)


Características da Produção Feudal

Segundo o conceito da Igreja da época, cada classe tinha uma função a cumprir.

a) Clero: cabia-lhe a missão de rezar.
b) Nobres: sua missão era fazer a guerra.
c) Servos: cuja obrigação era trabalhar.

Portanto, toda produção era realizada pelos servos, que levavam uma vida muito difícil.
A concessão da terra ao servo para produzir seu sustento implicava numa série de obrigações e tributos, tais como:

- Corvéia: trabalhar alguns dias por semana no manso senhorial;

- Talha: uma parte daquilo que produzia em sua concessão deveria entregar ao senhor feudal;

- Banalidade: pagar tributo pelo uso do moinho, forno, etc.

- Consórcio: autorização senhorial para contração de matrimônio pelo servo;

- Capitação: imposto pago pelo número de membros da família;

- Alberagem: fornecer alojamento ao senhor e sua comitiva durante as viagens pelo feudo;

- Mão - Morta: tributo cobrado na transferência do lote de um servo falecido a seus herdeiros.


A Vassalagem:

A relação de vassalagem baseava-se na troca de favores:

a) O rei concedia terras aos grandes senhores ou suseranos;
b) Os suseranos concediam terras a outros senhores, que em troca juravam-lhe fidelidade, auxiliando-os nas guerras.

A Ordem Equestre:

Ser cavaleiro na Idade Medieval era um código de honra. Ser filho de um nobre era  pré-requisito indispensável.
O jovem que pretendia ser cavaleiro passava por várias etapas e ensinamentos rigorosos.

1°) Aos 7 anos, iniciava a formação como pajem, quando aprendia o manejo de armas e equitação.
2°) Aos 14 anos, tornava-se escudeiro, que representava vários anos de simulação de combates, trajava-se  a caráter, etc.
3°) Aos 21 anos, realizava-se a cerimônia oficial para o ingresso na ordem equestre.

A lealdade e coragem eram as principais características de um cavaleiro.


Os Estamentos Sociais:

Rei: estava no topo da estrutura social, porém seu poder era meramente nominal.

Nobres: os senhores feudais possuíam extensas áreas de terras e gozavam de grande prestígio. Seu poder limitava-se ao feudo, onde se produzia tudo que necessitavam.

Clero: única instituição organizada durante a Idade Média. Monopolizava a cultura medieval com a ideologia do teocentrismo.

Servos: classe despossuída; semilivres; entretanto, estavam presos ao feudo, sem perspectiva de mobilidade social.

Elaboração:
Luciane Gasparin
Equipe Mais Educação




Nenhum comentário

Agradecemos o seu comentário! Em breve ele será publicado.