.

Redação: Como fazer uma e os diferentes tipos de textos de uma redação

. .
Fundamental em concursos, vestibulares, ENEM e até em testes de emprego, saber fazer uma boa redação pode ser o seu diferencial. Para confeccionar uma boa redação, devemos atentar para alguns detalhes importantes:

a) Ordenar logicamente os pensamentos:

Faça um esqueleto do que vai escrever na sua redação. Se o tema, por exemplo, é uma viagem, o esqueleto deve ser elaborado com todos os pontos ligados a ele. Poderíamos sugerir os seguintes pontos:
  • o convite para a viagem
  • preparativos
  • a viagem
  • a chegada
  • o local, características
  • as pessoas
  • o regresso
  • a volta à rotina do dia a dia
Após definidos os pontos, determine quantas linhas você vai escrever a respeito de cada um desses pontos, de forma que atenda o número mínimo de linhas estabelecido para a redação.

Depois disso, comece a escrever sua redação ponto por ponto.

Fazendo o esqueleto da redação, você evitará erros comuns como tocar duas vezes no mesmo assunto durante o desenvolvimento. Terá facilitada, ainda, a exposição de ideias, tornado-as fluídas e espontâneas.


Como escrever uma boa redação
Organize suas ideias antes de começar a escrever seu texto.

b) Escrever com clareza e correção:

Não é necessário ter letra bonita, mas é preciso, evidentemente, que ela seja legível.

Escrever com clareza é não deixar ideias sem conclusões lógicas, e não deixar que algo fique sem explicação no texto, ou não seja compreensível. Devemos primar pela correção gramatical, pontuando corretamente, evitando repetir palavras, frases e ideias, pois isto demonstra falta de vocabulário.

Lembre-se de que nem todas as palavras são escritas da forma como são pronunciadas.



c) Mantenha um estilo simples e suave:

Não prejudique sua redação escrevendo termos ou palavras que não sejam do seu completo domínio, bem como gírias, palavras estrangeiras ou termos pejorativos.

Não faça uso de parágrafos muito longos. Sempre que concluir seu pensamento, coloque um ponto e comece novamente.

Procure não se utilizar de pronomes pessoais do caso reto. Poderá omitir para evitar repetição. Exemplo: Cursei direito, mas nunca segui a profissão (omissão do "eu"). 

Não seja radical. Dê seu ponto de vista, mas deixe bem claro que você respeita a opinião alheia. Demonstre segurança, evitando expressões como "eu acho".

d) Atenha-se ao tipo de redação solicitada:

Procure não confundir descrição, narração e dissertação. Saber a diferença dos tipos de textos é fundamental para fazer uma boa redação.

e) Faça delimitação do tema:

Essa observação é válida para temas dissertativos, que apresentam assuntos bastante abrangentes. Não é possível esgotar um assunto. É preciso saber escolher os aspectos a serem desenvolvidos. Normalmente o tamanho da redação é limitado.

Supondo que o tema seja " O progresso do Homem". Como é impossível tratar de todos os aspectos relacionados ao progresso humano, torna-se necessária a delimitação do tema, restringindo a redação a alguns itens, que poderiam ser os aspectos positivos do progresso, ou mesmo os aspectos negativos.

Publicidade:


Os tipos de Redação

Descrição

Descrição ou Descritivo, é uma exposição detalhada que pode ser feita oralmente ou por escrito. A descrição apresenta objetos, seres, paisagens e descreve emoções, qualidades e circunstâncias com palavras precisas.

A descrição caracteriza-se por textos onde se apresenta particularidades de objetos ou imagens. A descrição é uma foto escrita.
Ela pode ser Objetiva ou Subjetiva.

a) Objetiva - caracteriza-se pela presença de perspectiva técnica, científica, geométrica e anatômica. A linguagem é padrão, sem tons poéticos, mostrando uma visão "fria", isenta e imparcial.


Em pé, no meio do espaço que formava a grande abóbada de árvores, encostado a um velho tronco decepado pelo raio, via-se um índio na flor da idade.   Uma simples túnica de algodão, a que os indígenas chamavam aimará, apertada à cintura por uma faixa de penas escarlates, caía-lhe dos ombros até ao meio da perna, e desenhava o talhe delgado e esbelto como um junco selvagem. (O guarani, José de Alencar)
b) Subjetiva - caracteriza-se pela presença de perspectiva literária e artística. A linguagem é poética, mostrando uma visão pessoal e imparcial.

Eu não tinha este rosto de hoje,assim calmo, assim triste, assim magro,nem estes olhos tão vazios,nem o lábio amargo.
Eu não tinha estas mãos sem força,tão paradas e frias e mortas;eu não tinha este coraçãoque nem se mostra.

Eu não dei por esta mudança,tão simples, tão certa, tão fácil:- Em que espelho ficou perdidaa minha face? (Cecília Meireles, Poesia, RJ, Agir, 1974, p.19)

Narração

Narração ou Narrativo, é o texto onde se sequenciam fatos vistos, ouvidos ou imaginados. Este tipo de narração tem como característica básica a presença de narrador. 
Quatro perguntas devem ser respondidas ao logo do texto narrativo:
  • Quando aconteceu o fato?
  • Onde aconteceu?
  • O que aconteceu?
  • Quem são os envolvidos?
Vejamos: 

O presidente de Furnas Centrais Elétricas, João Camilo Penna, disse ontem (10/11/86), às 16:00 h, após a sua visita mensal de inspeção às instalações da usina nuclear Angra I, que "houve realmente um vazamento na usina", no último dia 30, e que a reportagem publicada pela Folha anteontem sobre o acidente "estava correta no fundamental"(...) Camilo Penna admitiu a ocorrência de "falhas no sistema de comunicação ao público de incidentes com a usina" e disse que pretende corrigi-las . (Folha, 11/10/86)

O Narrador pode ser
- Narrador em primeira pessoa - o narrador também é personagem.
- Narrador em terceira pessoa - o narrador apenas conta o fato, como espectador não presente.
- Narrador Onisciente - o narrador é testemunha invisível de tudo, em todos os lugares. Penetra no interior das personagens.

Em concursos, ENEM ou vestibulares, reserve um tempo para  fazer um
rascunho da redação. Jamais formule o texto diretamente na folha de redação.


Discurso Direto e Discurso Indireto

No discurso direto, a fala da personagem é representada  pelo travessão. A personagem é chamada a apresentar as suas próprias palavras, tal qual está acostumado:
  • "E Alexandre abriu a torneira
  •  - Meu pai, homem de boa família, possuía fortuna grossa, como não ignoram".
Já no discurso indireto, a fala da personagem é representada em forma de texto pelo narrador.
  • " E Alexandre abriu a torneira, dizendo que seu pai, homem de boa família, possuía  fortuna grossa, como não ignorávamos".


Dissertação ou Dissertativo

Dissertação é uma sequência de juízos e articulação de ideias e opiniões, é um conjunto de comentários a respeito de um assunto ou uma questão.

É o tipo de redação mais cobrado em concursos, ENEM e vestibulares.

O objetivo principal de um texto dissertativo é convencer, influenciar pelas ideias, explicar ou dar a conhecer, dizer nosso ponto de vista sem criar debate. Neste tipo de texto, podemos defender uma tese ao discutir um assunto.

É dividida em três partes: introdução, desenvolvimento e conclusão.

Na introdução nós vamos apresentar o tema a ser discutido, dizendo de sua importância e estabelecendo objetivos a serem alcançados no final do nosso texto. É na introdução que vamos estimular quem vai ler nossa redação, citando algum fato, alguma notícia de jornal, qualquer coisas para iniciar, prendendo a atenção do leitor.

No desenvolvimento nós passamos a expor nossos juízos a respeito do tema, nossos argumentos, provas, testemunhas, etc.

A última parte do texto dissertativo é a conclusão. Nela nós vamos reafirmar os objetivos ou as propostas colocadas quando da introdução do texto. Vamos ratificar ideias e concluir brevemente com uma frase de impacto.

A ciência é uma das grandes conquistas do ser humano; o conhecimento científico atual representa o acúmulo de toda experiência vivida pela humanidade,ao longo de muitos séculos. De Aristarco de Samos, passando pelo grande Galileu, até um Mário Schenberg, a ciência de hoje é a síntese de umgrande trabalho engendrado pelo homem.
São incontestáveis as realizações da ciência, inegáveis as conquistascientíficas que possibilitaram ao homem penetrar no âmago da matéria,colocar engenhos espaciais nos confins do universo, conhecer os complexosmoleculares responsáveis pela vida ou desvendar parte do enigma que é amente humana (...).
É inegável, também, que a ciência provocou novas relações entre os homens,modificou as formas de convivência, acelerou a criação da modernacivilização tecnológica que fez o homem assimilar todo um novo elenco deideias e valores, de necessidades materiais e mentais, de aspirações e expectativas.
Realmente seria injusto, como diz Regis de Morais, desconhecermos asgrandes realizações com as quais os cientistas tornaram a vida mais amena,porém, também seria insensato vermos a ciência como algo infalível.
De onde vem a visão da ciência como de uso infalível ou como a grandeesperança para a solução dos problemas da humanidade? E a visão da ciênciacomo apolítica ou neutra? (...)  - (Rubens Pantano Filho - Ciência, Ideologia e Poder).

Organização e pesquisa:
Rafaela Schimdt
Imagens: Pixabay - Comons

Nenhum comentário

Agradecemos o seu comentário! Em breve ele será publicado.