A República do Café com Leite (1894 - 1930)

. .

O que foi a república do café-com-leite? 

Desde a época do Império, as oligarquias agrárias eram fortes. Com a proclamação da República e,  após a saída do marechal Floriano Peixoto e a eleição de Prudente Morais, encerrou-se o ciclo dos militares na Primeira República, marcando a ascensão da aristocracia rural.
Até 1930, a presidência da República e as administrações locais foram plenamente dominadas pelos latifundiários e seus aliados. Predominava nacionalmente as elites dos mais ricos e populosos estados da União:  São Paulo e Minas Gerais: era a política do café-com-leite, responsável pelo revezamento de políticos paulistas e mineiros na presidência. Com breve interrupções, elegeu a maioria absoluta dos presidentes da República Velha. 
O café representava a força política de São Paulo e o Leite a
força política de Minas Gerais.

Este predomínio não vinha apenas da força econômica e populacional, mas de um acerto político entre o governo federal e os estados, iniciado no governo de Campos Sales. Ele precisava de apoio no congresso para aprovar medidas impopulares, algo comum até os dias atuais.
Essa política dos governadores por ele implantada, consistia na troca de favores entre o chefe da nação e os presidentes dos estados. Havia a Comissão Verificadora de Poderes, que era controlada pelo governo federal. Após as eleições "diplomava" ou "degolava" os eleitos, segundo os interesses das oligarquias estaduais. Estas por sua vez, prestavam apoio irrestrito ao presidente.
O traço marcante da política do café-com-leite na República Oligárquica foi o coronelismo; controlando o poder político local através de "favores" prestados aos eleitores e uso da violência. Os coronéis, cujas origens remontam ao Período Regencial, dominaram vastas regiões e municípios brasileiros ao longo da primeira metade do século XX, e, em determinadas áreas, exercem influência até hoje.
O coronelismo foi responsável pelo surgimento do Cangaço.
Na foto: Lampião e o seu bando de cangaceiros.

Agindo como protetores da comunidade e oferecendo pequenos benefícios aos moradores da região, os coronéis eram poderosos latifundiários e chefes políticos de cuja benevolência dependia social e economicamente uma grande massa excluída, a qual, diante das próprias limitações a que estava submetida, geralmente não negava voto aos candidatos indicados pelo coronel.
Quando, no entanto, o voto-de-cabresto falhava, os coronéis não hesitavam em usar a força dos jagunços e capangas para assegurar sua hegemonia, a qual podia ser eventualmente abalada pela ascensão de um coronel rival. Nesses casos, vencia aquele cujo curral eleitoral fosse maior, e cujos "cabras" fossem mais eficientes.

Presidentes durante o período da República do Café-com-leite

  • Prudente de Morais (1894-1898) - governou com intensas agitações política e sociais. A mais séria foi a Guerra de Canudos que já estudamos neste artigo (Guerra de Canudos: Causas e Consequências) .
  • Campos Sales(1898-1902) - criou a política dos governadores(conforme estudado) e restabeleceu o crédito do Brasil no exterior.
  • Rodrigue Alves(R$ 1902-1906) - Destacou-se por suas medidas de urbanização e saúde pública. Acontecimento importante no seu governo foi a Revolta da Vacina, que foi um movimento popular contra a vacinação obrigatória contra a varíola. No seu governo o Brasil obteve a posse do estado do Acre, comprando o mesmo da Bolívia.
    Caricatura da reação popular contra a vacina obrigatória.
    (Revista da Semana 2/10/1904, Coleção Joaquim Vidal, RJ).
  • Afonso Pena(1906-1909) - destacou-se pela defesa dos cafeicultores e por incentivar a imigração estrangeira.
  • Nilo Peçanha(1909-1910) - Principal realização foi a criação do Serviço de Proteção ao Índio, embrião da atual Funai.
  • Hermes da Fonseca(1910-1914) - Enfrentou a revolta da Chibata(dos marinheiros) e a Sediação de Juazeiro liderada pelo Padre Cícero.
  • Venceslau Brás(1914-1918) - enfrentou a I Guerra Mundial, tendo o Brasil colaborado com alimentos, matéria-prima, auxílio médico e apoio logístico. Para sua sucessão foi escolhido novamente o paulista Rodrigo Alves que faleceu antes de assumir. Seu vice Delfim Moreira governou até a realização de novas eleições.
  • Epitácio Pessoa(1919 - 1922) era Paraibano mas chegou ao poder graças ao apoio da política café-com-leite. Enfrentou em seu governo o avanço das lutas operárias e tentou reprimir a força o movimento do tenentismo no Rio de Janeiro.
  • Artur Bernardes(1922-1926) durante seu governo o país esteve sob permanente estado de sítio. Duas novas revoluções eclodiram: Revolta Paulista de 1924 e a célebre Coluna Prestes. 
  • Washington Luís (1926-1930) foi o último presidente escolhido pela política do café-com-leite, durante seu mandato sofreu os efeitos da crise de 1929, gerada pela quebra da Bolsa de Valores de Nova York.

Fim da República Café-com-leite

Getúlio Vargas assina a nomeação do Ministério, em 3 de novembro de 1930

No aspecto político, as instituições que garantiam o predomínio da política café-com-leite estavam desgastadas com as oligarquias rachadas na disputa pelo poder.
No campo econômico, sem grandes investimentos por parte do governo, a industrialização permanecia restrita, enquanto a inflação crescia e as exportações caíram. Com a crise de 1929 a economia do Brasil, baseado no café, ficou abalada. As massas urbanas mobilizavam-se na luta por transformações.
Em 1930 rompeu-se o pacto da política do café-com-leite e São Paulo e Minas apoiaram diferentes candidatos. Insatisfeitos com a eleição de Júlio Prestes, organizou-se movimentos reacionários pelo país sendo realizado um levante. Com os combates e a ameaça a Capital Federal, um golpe militar afastou o presidente Washington Luís e uma Junta Provisória assumiu o governo, passando posteriormente o poder a Getúlio Vargas. Era o fim da República Café-com-leite.

TESTES 

01.(FUVEST) - "Voto de cabresto", "curral eleitoral", "eleição a bico de pena", "juiz nosso", "delegado nosso", "capangas" e "apadrinhamento" são expressões que lembram em nosso país o:
a) Liberalismo.
b) Totalitarismo.
c) Messianismo.
d) Coronelismo.
e) Comunismo.

02. (MACKENZIE) - A hegemonia política dos estados economicamente fortes e populosos,  São Paulo e Minas Gerais, durante a República Velha, foi viabilizada através:
a) do apoio de grupos militares vinculadas ao tenentismo. 
b) da política dos governadores que, articulando os governos estadual e federal, anulava totalmente a oposição. 
c) de movimentos sociais populares de apoio ao Estado oligárquico. 
d) da instituição do voto secreto e fim da representação proporcional. 
e) da Constituição de 1891, que estabeleceu um Estado unitário e fortemente centralizado. 

03.(UEL) - Durante o governo de Washington Luís (1926-1930) a insatisfação da população e a tensão política agravaram-se com a:
a) Instalação da Comissão de Verificação dos Poderes.
b) Destruição do arraial de Canudos.
c) Realização da Semana de Arte Moderna.
d) Crise econômica e financeira mundial.
e) Disputa entre catarinenses e paranaenses que culminou com a Guerra do Contestado.


Compilado e redigido por: Luciane Gasparin

Nenhum comentário

Agradecemos o seu comentário! Em breve ele será publicado.