Governo pagou Youtubers para falar da Reforma do Ensino Médio

. .
Notícia divulgada recentemente pela Folha de São Paulo, revelou que alguns canais do Youtube receberam por volta de 300 mil para gravarem vídeos falando bem da reforma do Ensino Médio. O valor pago para cada um dos canais é por volta de 50 mil reais. O problema não foi a questão da publicidade, já que a plataforma do Youtube permite vídeos patrocinados, desde que o espectador, seja informado que aquele conteúdo é pago.

O grande foco do debate é que vários produtores de conteúdo do Youtube que foram pagos para falar bem do governo, fizeram parecer que foi algo espontâneo, sem patrocínio algum. Após o jornal ter revelado este pagamento publicitário foi inserido no rodapé do vídeo o aviso: "contém promoção paga", conforme podemos observar na figura abaixo:
Conteúdo pago deve ser informado ao usuário
segundo as regras do Youtube.
Fonte: Youtube 
Não é errado cobrar para divulgar algum conteúdo porém, deve se observar alguns princípios:
- Quanto eu compartilho realmente do que estou dizendo?
- Testei o produto? Tem algum risco de manchar minha credibilidade?
- Estou sendo obrigado a dizer coisas que não diria naturalmente?

Estes são alguns dos princípios que nós usamos em nossas páginas. Você pode fazer vídeos e artigos patrocinados mas deve deixar claro para o espectador/ leitor que está sendo pago para divulgar aquele conteúdo. Você corre o risco muito grande associando a imagem sua a um produto ou serviço que pode ser descoberto como péssimo no futuro. Imagine o estrago.
Youtubers pagos para falar da Reforma do Ensino Médio
Quanto vale um espaço no seu canal ou blog?
Até que ponto você iria para falar bem de algo que
não conhece ou acredita por dinheiro?
Créditos: pixabay 

Alguns Youtubers contactados para falar bem da reforma do ensino médio se recusaram. Os argumentos, na sua maioria foram pensando na credibilidade e no seu público. Foram corretos. Quem aceitou esqueceu que verbas públicas se tornam informações públicas, uma hora ou outra. Diferente de uma empresa, o governo deve prestar contas no portal da transparência sobre seus gastos e, fica muito fácil descobrir para onde foi o dinheiro. Ingênuo quem acreditou que não seria descoberto.

É complicado aceitar publicidade paga de assuntos polêmicos em discussão como a reforma do Ensino Médio. Seria diferente se o governo pagasse para um vídeo patrocinado sobre a prevenção da Dengue, por exemplo. 

O conteúdo patrocinado é permitido, é uma fonte de renda para blogs e canais de sucesso que fazem isto faz tempo. O problema é não deixar claro que está sendo patrocinado, de forma clara e direta para seu público. Seja honesto.

Equipe Mais Educação

Nenhum comentário

Agradecemos o seu comentário! Em breve ele será publicado.

.