A crise de 1929 e os seus efeitos no mundo

. .
Herbert Hoover

A crise de 1929, foi a maior crise até então enfrentada pelo sistema capitalista. Ocorreu no período entre guerras (1919 - 1939) e basicamente foi uma crise de superprodução que iniciou-se nos Estados Unidos mas, rapidamente se espalhou para outros países. 

As causas da crise de 1929 são muitas, porém vale destacar o caráter contraditório do sistema capitalista. Explico. No sistema capitalista a produção objetiva o lucro e é baseada na exploração do trabalho assalariado, gerando uma concentração de renda, ou seja, da riqueza produzida. 
Resumindo, como a capacidade do mercado não acompanha o ritmo de crescimento da produção, chega-se a uma situação de superprodução e contração do mercado. Ocorrendo isto, caem os lucros, já que não se pode mais vender os produtos produzidos com o mesmo nível de lucratividade.

Com este cenário montado, excesso de mercadorias e preços baixos, as indústrias não encontram compradores. Essa crise puxa também os produtos agrícolas e as matérias - primas, impedindo que fazendeiros e produtores rurais adquiram as mercadorias produzidas pela indústria. Com isto fechamos o ciclo vicioso da crise de 1929 e suas causas principais. 

Além disso, chama a atenção que a crise de 1929, atingiu a produção industrial e agrícola, e seu período de duração - chamado de "ciclo infernal" - se estendeu até 1933.

Efeitos da crise de 1929

- Paralisação do crescimento alemão, que vinha se verificando desde 1925, graças aos investimentos norte - americanos;

- Propagação da crise à Inglaterra e França, principais credoras da Alemanha, que se viu absolutamente impossibilitada de pagas as indenizações de guerra;

- colapso do comércio internacional, o que levou a uma restrição ainda maior da produção  mundial;

- Alto índice de desemprego. Nos Estados Unidos chegou ao alarmante número de 15 milhões de desempregados.

- Necessidade de reciclagem das chamadas economias periféricas. Como por exemplo, a economia cafeeira no Brasil ( que já não andava muito bem). Houve um apressamento da industrialização nos países baseados nestas economias.

- Busca de soluções nacionais para a crise. Nos Estados Unidos por exemplo, o presidente Franklin Roosevelt, adota a partir de 1933 um conjunto de medidas para recuperar a economia. Esta só viria a se recuperar totalmente após a entrada dos americanos na II Guerra Mundial.


"Crack" ou Quebra da Bolsa de Nova Iorque em 1929 (Wikimédia)



A Quebra da Bolsa de Nova Iorque

Provavelmente um dos fatos mais lembrados da crise de 1929. Durante os anos prósperos, as empresas norte - americanas tiveram suas ações muito valorizadas na Bolsa de Nova Iorque. No entanto, a valorização era artificial e não baseada na realidade econômica.

No segundo semestre de 1929, começaram os questionamentos sobre a real situação econômica, causando pânico entre os acionistas das principais empresas. As ações caíram mais de 40%, culminando com a célebre " Quinta - Feira Negra", dia este que mais de 16 milhões de ações não encontraram compradores.  

Era o dia 24 de outubro de 1929, o dia da quebra da Bolsa de Nova Iorque, que como uma onda arrasou todo o sistema capitalista. 


---Referências Bibliográficas:
J.M. - História do Século XX. São Paulo, Abril, 1974

Nenhum comentário

Agradecemos o seu comentário! Em breve ele será publicado.

.